Capacitações para Nutricionistas Atuantes no PNAE

No dia 24 de novembro o CECANE UNB finalizou com sucesso mais uma turma do Produto Educação Permanente para os Nutricionistas Atuantes no PNAE.

A 4ª turma de Brasília, que contou com a participação dos nutricionistas do DF e Entorno, assim como as outras turmas que fizeram parte deste processo, aproveitou e participou ao máximo de todas as atividades propostas durante o curso. Isso tornou possível que as metas do CECANE UNB fossem cumpridas e desde já agradecemos a todos os participantes.

As fotos da 4ª turma podem ser vistas abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os vídeos exibidos durante a capacitação seguem abaixo com seus respectivos links:

Homenagem aos participantes:

http://www.youtube.com/watch?v=vcoJQa1bM9M

Jogo dos sete erros:

http://www.youtube.com/watch?v=acy8zcwj38U

Trecho do filme Ratatouille:

http://www.youtube.com/watch?v=NdLlckAqIqE

Disponibilizamos também a apresentação utilizada na capacitação:

Apresentação Capacitação

Outros materiais utilizados estão disponíveis em publicações anteriores deste blog.

O CECANE UNB agradece e conta com a participação de todos na construção de profissionais mais unidos e atuantes.

 

Anúncios

Reforma agrária e inclusão produtiva

                A alimentação é considerada um fator determinante na saúde. Sendo assim a população de maneira geral cada dia que passa se conscientiza da importância de boas escolhas para garantir um futuro com menores riscos de doenças e complicações.

                Com o intuito de incentivar a promoção a alimentação saudável o governo vem desenvolvendo políticas públicas que visam informar, educar e estimular estes aspectos. Uma destas politicas é a que trabalha com a agricultura familiar.

                No governo atual a presidenta Dilma Rousseff vem implementando esta política e realizando algumas modificações. No dia 4/11/2011, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Alfonso Florence, deu uma entrevista a respeito deste assunto para o programa “Bom Dia Ministro”. Alfonso falou a respeito do aumento da verba para o setor da agricultura familiar, da taxa de juros do financiamento para agricultores e da merenda escolar.

                A notícia foi publicada no site da Rede Globo e pode ser vista acessando o link:

http://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2011/11/dilma-quer-aliar-reforma-agraria-e-inclusao-produtiva-diz-florence.html

Aprovação do novo texto da Política Nacional de Alimentação e Nutrição

Por vanessa.franco em Sex 28 de Oct, 2011 08:31 BRT

Prezados leitores do Blog da CGAN,
É com enorme alegria que comunico que a nova Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN) foi aprovada na 9ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite do SUS, em 27 de outubro de 2011.

A PNAN foi lançada em 1999 e deste então é reconhecida como importante marco legal e referência técnica e política dentre os esforços do Estado Brasileiro para garantia dos direitos humanos à saúde e à alimentação.

Ao se completar dez anos de publicação da PNAN, teve início o processo de atualização e aprimoramento das suas bases e diretrizes, na busca de uma resposta oportuna e específica do Sistema Único de Saúde (SUS) na reorganização, qualificação e aperfeiçoamento das ações de Alimentação e Nutrição para o enfrentamento da complexidade da situação alimentar e nutricional da população brasileira.

A PNAN tem como propósito a melhoria das condições de alimentação, nutrição e saúde da população brasileira, mediante a promoção de práticas alimentares adequadas e saudáveis, a vigilância alimentar e nutricional, a prevenção e o cuidado integral dos agravos relacionados à alimentação e nutrição. Ela reafirma os princípios doutrinários e organizativos do Sistema Único de Saúde (universalidade, integralidade, equidade, descentralização, regionalização, hierarquização e participação e controle popular), aos quais se somam aos princípios a seguir: da alimentação como elemento de humanização das práticas de saúde; do respeito à diversidade e à cultura alimentar; do fortalecimento da autonomia dos indivíduos as escolhas e práticas alimentares; da determinação social e da natureza interdisciplinar e intersetorial da alimentação e nutrição e da segurança alimentar e nutricional com soberania.

A PNAN, nesta sua segunda edição, está organizada em diretrizes que abrangem o escopo da atenção nutricional no Sistema Único de Saúde com foco na vigilância, promoção, prevenção e cuidado integral de agravos relacionados à alimentação e nutrição; atividades essas integradas às demais ações de saúde nas redes de atenção, tendo a atenção básica como ordenadora das ações.

As diretrizes que integram a PNAN indicam as linhas de ações para o alcance do seu propósito, capazes de modificar os determinantes de saúde e promover a saúde da população. Sendo consolidadas em:

1. Organização da Atenção Nutricional;

2. Promoção da Alimentação Adequada e Saudável;

3. Vigilância Alimentar e Nutricional;

4. Gestão das Ações de Alimentação e Nutrição;

5. Participação e Controle Social;

6. Qualificação da Força de Trabalho;

7. Controle e Regulação dos Alimentos;

8. Pesquisa, Inovação e Conhecimento em Alimentação e Nutrição;

9. Cooperação e articulação para a Segurança Alimentar e Nutricional.

Esta nova edição da PNAN apresenta-se articulada com o Plano Nacional de Saúde e Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, respeita os instrumentos de planejamento e pactuação do SUS e integra a lógica das redes de atenção à saúde. Ela foi revisada em amplo, dialógico e democrático processo de consulta que contou com a colaboração de vários atores envolvidos no tema, tais como: conselheiros nacionais, estaduais, municipais de saúde; entidades da sociedade civil; entidades de trabalhadores de saúde; gestores estaduais e municipais de Alimentação e Nutrição e da Saúde; conselheiros estaduais de Segurança Alimentar e Nutricional; Centros Colaboradores de Alimentação e Nutrição e especialistas em políticas públicas de saúde e de alimentação e nutrição.

Por fim, gostaria de agradecer a todos que de alguma forma participaram do processo de revisão da PNAN, em particular à Comissão Intersetorial de Alimentação e Nutrição do Conselho Nacional de Saúde (CIAN/CNS) pela parceria que possibilitou o início do processo de revisão da nossa Política.

Despeço-me com a certeza que demos um decisivo passo no alcance do sonho de fazer a PNAN cada vez mais presente no SUS e no dia a dia do povo brasileiro.

Bom final de semana!

Patricia Jaime

Para acessar o Blog da CGAN: http://ecos-redenutri.bvs.br/tiki-view_blog.php?blogId=1